29 novembro 2007

Cadê o fio de Ariadne?









Tem momentos na vida, engolidos pela burocracia e por gente mal intencionada, em que parece que me perdi num romance de Kakfa.

27 novembro 2007

As maravilhas do próximo ano ( com atualizações)












Não tive um bom ano.Foi ruim profissionalmente, foi ruim financeiramente e amorosamente foi um completo desastre.
De bom nesse ano houve meu Filho - esse presente divino diário que enche minha vida de significado - e teve uma gama linda de amigos que mergulharam meu coração adentro.
Mas eu desejo muito um 2008 melhor e estou ruminando cá comigo tudo o que quero: um emprego bacana, organização financeira, melhora da saúde.
E eu quero esse amor aqui.
Ô anjo da guarda, se vira, meu filho, eu quero e mereço.Eu conjuro meu desejo.


@@@@@ Queridos, sugiro um pulinho na Santa, pra ver como ela descreve seu ganso tarado. É Imperdível.
E passem na Tati, pra contar sobre suas conjurações e macumbinhas cotidianas.

25 novembro 2007

O trio







Ontem saí com Daniel e meus sobrinhos, a gente foi comer uma pizza, conversar, essas coisas de tia.Sempre adorei sair com os três, sempre foi divertido.A gente ia pra cinema, restaurantes, parques, bosques...essas coisas. Sempre divertido.
A gente brincava de jogos de perguntas dentro do carro, antes de chegar nos lugares. A gente ria muito.Eu brincava de boneca com a Julinha e nunca foi esforço, porque eu ainda gosto de bonecas.
Eles faziam teatro aqui na minha mãe, com cenário, guarda roupa e até ticket de entrada. Um dia vou chantagear essa molecada, porque tenho fotos comprovando esses micos todos.
Uma das coisas que eu mais gostava era fazer piquenique com os três nos parques aqui da cidade, além de comer coisas gostosas piqueniquescas, a gente brincava de mímica, contava histórias, tinha todo um ritual de bagunça.
A diferença agora é que os papos mudaram, os três adolescentes se posicionam, argumentam. Conversamos sobre música, escola, eutanásia, aborto.Júlia é totalmente a favor do aborto, Daniel é a favor da legalização, mas tem ressalvas, Victor é diametralmente contra.Opiniões diversas e - principalmente - respeito a opinião alheia, o que é um grande passo, pois nada mais tacanho do que a intransigência.
Bacana ter o privilégio de ver essa moçada crescendo, fazendo planos, entrando paulatinamente no universo dos alunos.Bacana pensar que,de alguma forma, pude contribuir pra isso.
Estabelecer essa conexão, ter o mesmo humor, participar dos mesmos sonhos. Fico feliz em ter essa moçada linda por perto, feliz em ser mãe e tia, coisas que adoro ser.Feliz em ter brincado de mímica e de papear hoje em dia, feliz em pensar que daqui a alguns anos, talvez eu esteja brincando com os filhos deles.

22 novembro 2007

Velhos amores






Meu amigo Tarcísio diz que sou "muito anos 80". Acertou em cheio, sou mesmo.
Essa história aqui, aconteceu nos fins dos 80.
Pra quem estava lá, eu pergunto, era bom,não era?

20 novembro 2007

"tempo , tempo, tempo , tempo...."










Sábado passado tinha tudo pra ser um dia muito bacana.Eu fui jantar na casa da Karen e do Biajoni, ou seja, garantia de comidinhas maravilhosas, papo ótimo e boas risadas. Um dos meus programas favoritos, com certeza.
E tudo foi bem, com todos os ingredientes acima. Ganhei até a bonequinha do texto abaixo....
Fui embora mais ou menos meia-noite, só que a cinderela aqui não deixou o sapatinho de cristal pra trás, deixou o carro. Isso mesmo, parei em uma blitz e,apesar de tentar passar uma conversa mole dos guardas, meu carro foi rccolhido.
Sério, é muito estranho ver o seu carrinho subindo no guincho, dá um aperto no coração.
Por sorte ainda estava perto da casa deles, voltei a pé, pra pedir abrigo.
Cheguei com cara de bunda.
- Gente, tinha uma batida...tô sem carro...
- batida? você bateu o carro???
- não, batida policial, tô com dos documentoes vencidos.
- que boooooossssta...!!!´
A maior parte dos outros convidados tinha ido embora, mas ainda deu tempo de conversar um pouco com o Paulinho, que pertence a minha tribo: passou na primeira fase do mestrado na Educação e não foi fazer a prova, porque esqueceu, me disse isso comendo uma inexplicãvel mistureba de homus, coalhada seca e maionese.
Ao terminar, ainda disse:
- Ih, comi no potinho da Lia....tem um ursinho desenhado no fundo...
Pois é, meus amigos, nós , os desligados, ainda vamos dominar o mundo.
Dormi por lá, na manhã seguinte eles me deixaram em casa, passando antes no carro recolhido, porque a banana aqui tinha deixado a chave de casa.
Aliás, só me dei conta disso porque a Karen me lembrou de procurar na bolsa.
ô vida.
Bom, depois dessa lambada e de outras, no topo da lista de começo de ano tem que constar: "preciso me organizar esse ano".
Organizar meu tempo.
"Tempo, tempo, tempo...vou fazer um pedido."

16 novembro 2007

O segredo da Clélia












No ano passado, conheci os fantásticos Clélia e Arnaldo. A gente se conheceu primeiro em um lugar muito interessante , em caixas de comentários. Isso mesmo, em caixas de comentários de vários blogs.
Depois de pouco tempo, nos conhecemos pessoalmente e posso garantir pra vocês: meu "radar para pessoas legais" apitou .
Poque eu tenho esse radar que me aproxima de pessoas muito rapidamente.Sempre foi assim, estudando ou trabalhando, eu ficava amiga de um ou outro, sem muitos prelúdios, graças ao meu "radar".De outros, já manhtinha distância e não havia meio de me fazer mudar de idéia.Confio no meu "radar".
Durante esse tempo, sempre que saimos e papeamos, foi ótimo. Eu tenho a sorte de ter adquirido amigos inteligentes , atenciosos e divertidos.
Arnaldo trouxe a revista alemã que pedi e eu nunca vi alguém viajar tanto e falar disso com tanta naturalidade, sem ostentação.Aliás, ele é um paladino anti-ostentação.
Quarta feira fui, junto com meu inseparável escudeiro mirim, jantar na casa deles.
Claro que me perdi no caminho e eles tiveram que vir me resgatar, mas isso eu já sabia, minha noção espacial não é ruim, ela simplesmente não existe.
Claro que o jantar foi delicioso - são ótimos cozinheiros - e o papo rolou até o começo da madrugada.
É exatamente o meu tipo de programa favorito.E do Daniel também, aliás.
Mas o caso é que descobri o segredo da Clélia.Pra quem lê o blog dela, falar que ela conhece muito de música é chover no molhado. Mas o fato é que ela sempre sabe uma letra que se encaixa perfeitamente com o que o texto diz, é incrível.
Ela costumava colocar essas letras em seus comentários blog afora.
Pois é, assim que entrei na casa deles, vi a maior coleção de cds do universo. Gente, é um escândalo.Tem absolutamente tudo.Mas tudo mesmo, acho que até a Saraiva fica devendo.
Esse é o tipo de segredo que vale a pena descobrir e eles são o tipo de pessoa que vale a pena conhecer.

08 novembro 2007

A culpa é deles






Eu deveria estar trabalhando na dissertação, isso é o que eu deveria fazer.Porque esse mestrado está parado e eu acho que vai nascer por geração espontânea.
Mas a culpa é deles, eu juro.
Meu queridos Clélia e Arnaldo,com quem sempre é delicioso conversar, me deram O texto, ou; a vida, onde Moacyr Scliar narra sua trajetória como leitor e escritor, mesclando sua narrativa com seus contos, ou seja, um primor.
Os fantásticos anfitriões Karen e Biajoni, me emprestaram uma pilha de Lourenço Mutarelli.
Agora me diz, se eu largo tudo e fico só lendo essas delícias, a culpa é minha.
Nada, rapá, a culpa é deles.Minha é a sorte em tê-los como amigos.

07 novembro 2007

Professores organizados e suas chatices diárias









Os professores podem se dividir em dois grandes grupos: os que preenchem diário de classe e os que não preenchem.
Claro que vocês já devem imaginar em qual grupo estou.
Já tentei virar a casaca, passar pro grupo dos organizados, mas essa decisão dura tanto tempo quanto minhas dietas. Ah, eles são uns chatos.
Os professores -que-fazem-diário desprezam dos professores -que- não -fazem -diário.Eles mantém tudo na maios absoluta ordem, orgulhosos de sua retidão, risonhos com ela, exigindo com histeria algo denominado "letra bonita" (?) dos alunos, não admitindo canetas col0ridas (!) no caderno, ainda que estejam trabalhando com garotos que precisam de cores e signos pra se diferenciar do grupo.surtando quando observam um rabisco na prova.
Em uma parca definição conceitual, confundem rigor com mediocridade caprichosa.
Eles nunca erram, falam aos cochichos na sala dos professores e sempre tem um sorridinho mau diante de uma nota baixa.Especialmente de alunos que tem o caderno bagunçado (tsc..tsc..)
Sua aula também é organizada. Muito organizada. Cuspe e giz, giz e cuspe. Qualquer outra coisa os deixa nervosos. Os professores-que-fazem-diário odeiam professores que usam outros textos, criticam as idas áo pátio, porque aula é na sala de aula, obviamente.Não gostam dos jogos, mas vez ou outra fazem alguns,tolos, sem sentido,rudimentares e acreditam realmente que a aula melhorou, a despeito dos bocejos dos garotos.
O professor-que-faz-diário nunca lê, quando o faz, escolhe tão mal que seria preferível ter ficado com sua tv. Não conhece HQ porque considera coisa de criança.
Na sala dos professores, torce o nariz quando ouve falar em blogs: diz que não tem tempo pra essas coisas.
Ele nunca fala com prazer de um aluno, nunca conta algo instigante de sua aula.Sempre reclama, revira os olhos quando a sineta toca, pronto pra ir para seu martírio pessoal: seus alunos.
A escola idela para o profesor-que-faz-diário não tem aluno.
Principalmente alunos que estão descobrindo sua sexualidade:"bando de assanhadas" ou meninos que não acatam tudo como pronto e definitivo , os terríveis "questionadores".
Esse último adjetivo é dito entredentes, na hora do café, com bílis no olhar.
- Essa molecada não quer saber de nada...estudar ...ler....eles não tem hábito de leitura!
Perguntado sobre o que anda lendo, diz que não tem tempo pra isso.
Sei lá, vai ver que usa seu tempo pra preencher diários.Bem direitinho.

04 novembro 2007

Homens, homens...











Respondendo aos amigos que escreveram, não com guerra declarado aos bomens.Claro que não.Só acho graça em algumas coisas, ué.
De qualquer forma, tem gosto pra tudo como já disse por aqui.
E as pessoas podem surpreender sempre.

01 novembro 2007

Post marcado


















Ah, homens,homens...


Carly Simon - You're So Vain
you walked into the party

like you were walking onto a yacht

your hat strategically dipped below one eye

your scarf it was apricot

you had one eye in the mirror

as you watched yourself go by



and all the girls dreamed that they'd be your partner

they'd be your partner and



you're so vain

you probably think this song is about you
you're so vain

I bet you think this song is about you

don't you, don't you, don't you



well you had me several years ago

when I was still quite naive

well you said that we made such a pretty pair

and that you would never leave

but you gave away the things you loved

and one of them was me



I had some dreams they were clouds in my coffee

clouds in my coffee and



you're so vain

you probably think this song is about you

you're so vain

I bet you think this song is about you

don't you, don't you, don't you




I had some dreams they were clouds in my coffee

clouds in my coffee and...



you're so vain

you probably think this song is about you

you're so vain

I bet you think this song is about you

don't you, don't you, don't you



well I hear you went up to Saratoga

and your horse naturally won

then you flew your Lear jet up to Nova Scotia

to see the total eclipse of the sun

well you're where you should be all the time

and when you're not

you're with some underworld spy or the wife of a close friend

wife of a close friend



you're so vain

you probably think this song is about you

you're so vain

I bet you think this song is about you

don't you, don't you, don't you